Lançamento do livro: O perfume da Palavra Vol.V

convite antologia

https://www.facebook.com/events/1542608366034098/?active_tab=posts

Tenho o enorme prazer de participar desta Antologia.

Meus agradecimentos á Equipe da Editora Muiraquitã.

Com muito carinho convido a todos os meus seguidores para esse momento agradável de leitura e descobertas.

Grande beijo.

Aparecida Dias

Anúncios

Esse jeito de amar

lagrima.jpg

Quando um rio é testemunha de um amor que não tem medida

Podem as águas falarem

a língua dos amantes

que a vida serena e calma

segue seu curso adiante…

De mãos dadas às horas errantes, vai…

A favor de um tempo que aprendeu a esperar

e a fazer da espera, um jeito  de amar.

Quando o mar é testemunha

de brilhos e sorrisos no olhar

Vêm as águas murmurantes

em ondas ventantes, cheirando a maresia

A molhar os beijos praianos

sedentos de um amor que soube esperar.

Água

Pura água aquecida

Que banha sentimentos saudosos

a brotarem dos olhos

dos amantes que se olham

Na cumplicidade de um amor que não tem medida.

Aparecida Dias

 

 

Estrela errante

estrela na janela

Sou estrela errante

Sempre no espaço a vagar

Nas noites frias de inverno

Aproximo-me da tua janela  e adentro o teu quarto

para ver o sono tranquilo que embala o teu sonhar.

Pouso sobre o teu peito

e sussurro ao teu  coração.

Ouço-te a dizer meu nome

E então percebo que já faço parte de um sonho que também é meu.

Acaricio-te o rosto

no breve iluminar de emoção.

Parto novamente para longe de ti

e deixo as lembranças falarem por si.

Aparecida Dias

 

 

Futebol de meninos

Volpi - futebol

No meio da rua,

No terreno baldio

No campinho de várzea

Há sempre um espaço reservado

Pra alegria.

Uma bola

duas marcas  (que são trave de gol)

A meninada só de calção

E o sonho de ser campeão.

Jogam futebol de pés descalços

Pelés, Ronaldos e tantos mitos

A que time pertencem?

Não sabem dizer

Time do Pôll

Time do Maico

Os dois mais fortes

ou donos da bola?

Meninos soltos com os sonhos no pé

Espalham no campo no fim do dia

A bola que o goleiro não consegue segurar

leva o outro time ao delírio do gol.

Abraçam o artilheiro pra comemorar

Correm, pulam,

Saltam na terra

E chutam a bola

Estrela da festa.

Aparecida Dias

Imagem de: Alfredo Volpi
Disponível em:
http://catalogodasartes.com.br/Foto.asp?sPasta=@Obras&Imagem=Thiago%20Ferreira%20Melo/jameslisboaleilao10denovembrode2008item112.jpg

 

 

 

 

A pipa

Cicero-Dias_Menino-soltando-pipa

Toda colorida

vibrante  a bailar

No azul do céu,  distante do chão.

Presa no  fio,

carregada de emoção.

Entre brancas nuvens

pássaro colorido que sabe girar

Mergulha peixinho

parece cair

Empina, roda

e volta a subir.

Na ponta da linha

pra lá e pra cá…

A pipa do menino

leva seu sonho

pro alto voar.

Voa o menino nas asas da pipa

Mergulha no céu

voando a nadar.

Aparecida Dias

Imagem de: Cícero Dias.
Disponível em:
http://www.pontualarte.com.br/web/wp-content/uploads/2015/11/Cicero-Dias_Menino-soltando-pipa.jpg

 

 

 

Primeiro Amor

coração adolescente

Os olhos que antes  olhavam o brincar

Agora inventaram de desenhar o amor

A menina sapeca que virava pirueta

suspira no canto sempre a pensar

Botou linha colorida

no arco do tear

Costurou na lua, uma história  multicor

Sonhou com estrelas e corações de açúcar

Acordou borboletas em cores diversas

a voarem aflitas dentro do peito.

Os lábios que antes  sorriam inocentes

Carregam agora anseios beijantes.

 

Dizer o teu nome cora-me a face

Olhar nos teus olhos

Deixa-me encabulada

Tropeço nas palavras que saem beijadas

Deixei de ser criança

Não quero mais brincar

Desenho corações…

Inventei de te amar.

Aparecida Dias

 

 

 

 

 

Algazarra

meu-jardim-flor-do-pessegueiro-02-colc3b4nia-farias-colombo-pr2

Chuva de cores  no meio do pomar

Róseas flores nos pessegueiros

Em breve os galhos pesados e verdes

Com fruta carnuda beijam o chão.

Um riso peneirado  se espalha no quintal

E busca mais risos na tarde encantada.

E já são tantos risos com gosto de fruta

que não se sabe ao certo o que faz a meninada

Abundância de verde, de doce e de mel

No meio  do vento, tão perto do céu

Carinhas sapecas gritam assanhadas

a subirem nos troncos e galhas vergadas.

Brincam de esconde-esconde com o sol

Até que o astro, atrás da montanha

Aquieta apagado com certa magia

Cansadas de brincar

e saciadas de alegria

Retornam ao abraço de taipa no fim do dia.

Sonham com a noite de lua cheia

Sobre os pessegueiros

a brincar com as estrelas.

Aparecida Dias