Contos literários

anne-bascove-filadelfia-eua-1946-readinginbed

Créditos da imagem:

Lendo na cama, 1994

Anne Bascove ( Filadélfia, EUA, 1946)

óleo sobre tela,  85 x 85 cm

Imagem capturada de: https://peregrinacultural.files.wordpress.com/2011/09/anne-bascove-filadelfia-eua-1946-readinginbed.jpg

A delicadeza da escrita está na alma do autor. Traduz em palavras todo o sentimento contido numa alma. Cada dia vivido, cada amor, tudo é tão marcante que é impossível guardar apenas na lembrança. É preciso grafar em papel e partilhar com tantos outros que sensíveis também são.

Pequenas histórias contadas com muito carinho:

1 – Lágrimas de Sereia

2 – O bom Velhinho que anunciava o Natal

3- Corre que é lobo

4- Amigos especiais

Fonte: Contos literários

Em breve, outros amáveis contos.

Aparecida Dias

Sombras

À  sombra dos dias  que  passaram,

Fiquei!

A velocidade dos ponteiros afastou-te de mim

É no somar das horas que percebo a demora de reencontrar-te

Quanto mais o tempo passa

Mais distante ficas, enfim

As lembranças teimam em ficar

E vagueiam o meu pensamento

Ora nítidas como recentes acontecimentos

Ora opacas com sinais de envelhecimento

As sombras crescem e se esticam  compridas e lentas

Como um entardecer sem fim

Deixam um rastro de tristeza e saudade

Na estrada marcada por pequenos passos de solidão

Enquanto espero o agilizar das horas e o encurtar do caminho

Vou regando nossas lembranças

Cultivando-as com carinho

Há de crescerem em rama e flor

E o sol, enfim,  romperá as sombras

No ímpeto  de beijar as flores e iluminar o jardim

Nesse raiar reluzente

O ponteiro das horas

Esquece toda a demora

De um tempo ausente

E tu vens apressado, abraçar-me apertado

E a encurtar a distância entre dois corações

 

 

 

Carícias 2

Todas as carícias que acalmam minha alma cabem nas tuas mãos

E tu, carinhosamente, partilhas esse amor

a deixá-las escorrerem  livres: doce sereno em pétala de flor.

Sou flor madrugadeira  ardente em desejo

Sedenta de carícias sob os lençóis

Busco teus beijos  que nascem  ansiosos em lábios de mel

A noite nos abraça e apequena nesse instante

A reduzir o tempo  reservado para nós

Toma-me nos teus braços, pois meu coração pulsa desordenadamente  e me faz ofegante

Despe-me  das minhas vestes e envolve-me no teu corpo

Quero tuas carícias em pele nua

Afasta os meus medos e faz-me inteiramente tua

Afaga-me os  cabelos enquanto deslizo o teu corpo sob os meus dedos

Apossa -te  desta for e dentro de mim borbulhas ardentemente

A deliciar no intenso prazer

Deixamo-nos ficar neste calor

Banhados no mesmo suor

E embriagados do mesmo amor.

Aparecida Dias

Bem querer

Disseste-me que eu não te amo!

Baseaste em quê?
No desejo que sinto de mergulhar nos teus beijos?
Neste fogo que me queima por dentro e arremessa-me para o teu corpo?
Na vontade incontrolável que tenho de tirar-te a roupa e molhar no teu suor?
No prazer que me dás quando estamos na cama?
Ou será ainda que te baseias neste meu sonho de contigo estar o resto da minha vida,
de ficar bem juntinho  e nunca mais nos separar?
Nessa vontade de te cuidar ser cuidada por ti?
Pode ser que eu não te ame…
Que isso não seja amor.
Se é paixão, ilusão… sei lá o que eu sinto.
Porém eu posso afirmar
É um bem querer tão bonito!!!