Pedras

Pedras nas ruas

nas casas, nos adornos, nas praças

por todos os lados

Pedras nas paredes, pedras no chão.

Pessoas meio gente, meio pedras

Pedras e mais pedras…

Pedras no coração.

Na pequena Ouro Preto de pedras

Lembranças seguem-me no caminhar

por entre as frias pedras

ao subir as ladeiras

ao ouvir o sino da igreja.

Lembranças…

Afago-as para que adormeçam  e não acordem os fantasmas

Murmuro uma canção

que se apaga devagarinho como luz de lampião.

Quase a dormir

novamente , de assalto, as lembranças tomam meu pensamento

Tiram -me o sossego

Tornam-se um tormento

E confinada neste apartamento

Penso nas pedras

Arranco todas as pedras do chão

Lanço-as sobre este meu coração

Magoo, firo, enterro!

Sob pedras não mais há de vingar

Morre, sentimento mal quisto, para sempre esmagado pelas pedras

Só assim, o amor há de acabar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s