Poesia de corpo inteiro

Entre meus dedos escorregam papeis, canetas

palavras e sentimentos.

Um sorriso oculto perpassa junto do olhar

sobre os versos que desfilam devagar

pela página virgem do caderno.

Acaricio as palavras

como se a tua rubra face contivesse meus versos.

Beijo-te ao ler os poemas.

Leio e releio devagar

e a cada palavra volto a beijar-te

O Poema é tua boca

que desata em mel para que eu possa ler

A poesia é o teu corpo.

E  te sentir é meu prazer.

Meus versos, tua poesia, teu corpo em mim

E desfilam papéis e carícias sem fim…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s