SUAVE SOFRER

(Deus trino)

Deus não permitais que eu perca a serenidade no olhar

Essa doçura que me habita o coração

E a capacidade de sonhar

Permitais-me  o saber ver

Outros olhos e outro sonhar

Sem me afligir

Sem me amargurar

Permitais-me Deus, ser paciente

Complacente

E menos exigente.

Não permitais-me oh, Deus,  que a dor me tome a alma

Que a ausência de um bem querer  faça –me sofrer

Permitais-me, Deus , que eu seja forte

Que não me derrube a tempestade

Mas que eu possa ver o sol para além das nuvens

E que mesmo em noites sem estrelas

Eu saiba ver o brilho da luz.

Oh, Deus não permitais que meu coração enrijeça

E cuspa impropérios e ofensas

Em difíceis circunstâncias

Hei de ser resiliente,

Doce, calma,  amável  e persistente

Mesmo de alma magoada, sofrida  e machucada.

Não deixeis que finde a minha história

Dai-me outras tantas páginas em branco no livro da minha vida

Para que eu possa continuar a tecer os meus dias

E se eu não tiver forças para tecê-los

Hei de rabiscar sons de todas as cores

Salpicados de ventos e chuva de flores

E essa trama costurada e remendada em versos e poesia

Revelar-se á a trama da minha vida.

******************************************************

SUAVE SOFRER

2ª versão (Deus uno)

Deus não permita que eu perca a serenidade no olhar

Essa doçura que me habita o coração

E a capacidade de sonhar

Permita-me  o saber ver

Outros olhos e outro sonhar

Sem me afligir

Sem me amargurar

Permita-me Deus, ser paciente

Complacente

E menos exigente.

Não permita-me oh, Deus,  que a dor me tome a alma

Que a ausência de um bem querer  faça –me sofrer

Permita-me, Deus , que eu seja forte

Que não me derrube a tempestade

Mas que eu possa ver o sol para além das nuvens

E que mesmo em noites sem estrelas

Eu saiba ver o brilho da luz.

Oh, Deus não permita que meu coração enrijeça

E cuspa impropérios e ofensas

Em difíceis circunstâncias

Hei de ser resiliente,

Doce, calma,  amável  e persistente

Mesmo de alma magoada, sofrida  e machucada.

Não deixe que finde a minha história

Dê-me outras tantas páginas em branco no livro da minha vida

Para que eu possa continuar a tecer os meus dias

E se eu não tiver forças para tecê-los

Hei de rabiscar sons de todas as cores

Salpicados de ventos e chuva de flores

E essa trama costurada e remendada em versos e poesia

Revelar-se á a trama da minha vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s