Onde foi que o AMOR se perdeu?

Onde foi que o amor se perdeu

Onde foi que o amor se perdeu?

A chorar, não me canso de procurar

Em todos os lugares por onde andei

Vasculhei o passado

Debrucei-me sobre as lembranças

Detrás de cada lágrima, procurei

Nas fotografias que fizemos

Nos encontros que tivemos

No tempo que ficou distante

Ou na distância que ficou no tempo

Onde foi que o amor se perdeu?

Nas horas frias do inverno?

No avançar do tempo no verão?

No caminhar lento da primavera

Ou na dança das horas fadigadas com o vento?

Onde foi que o amor se escondeu?

No coração sofrido

Que vive cansado a espera do tempo

Que não para…

Que não para…

Que não para…

Amor sufocado

Adormecido

Guardado

Perdido…

Como ele se foi  não me importa.

A dor que fica, de tão grande machuca

Magoa

Entristece o olhar.

E a teimar um sorriso, mesmo que tímido

Digo baixinho:

Amor, vou te buscar.

Tormenta

Tanto frio

Tanta chuva

E um rio a passar

Passa lentamente a chorar

Leva as dores e os amores

Em tormenta

Este rio em corredeira

Já tem pressa de chegar

Chegar onde com tanta dor?

Pra onde há de levar

Tanta água magoada de chorar?

E segue o rio seu destino

Este mesmo de lavar

Olhos e coração

E não olhar pra trás

Deixa que o riso seque o pranto

Que o tempo traga o encanto

Que existe nos olhos teus

Que o brilho dos teus olhos

Seja o mesmo dos olhos meus.

Caminhos

Caminho por tortuosas trilhas

Entre montanhas e serras

Por vales coloridos de sol de primavera

Vento úmido de verde em cascata a banhar a minh’alma caminhante

Caminho no compasso das mansas horas

Tenho pressa, mas o tempo tem seu próprio passo

Caminho em direção ao nascer do sol

Olhos espichados ao longe

Onde finda o horizonte

Onde o céu beija o mar

E a caminhar levo meu sonho

Carrego o cesto de coisas da vida

Um coração cheio de amor

Olhos cheios de poesia

Lábios sedentos dos teus beijos

E a certeza de te encontrar.

Sorrisos

Em cada sorriso,   uma expressão de felicidade

Um momento bom de ser lembrado,

Uma conversa animada,

uma risada.

Mesmo que tímido,

Um sorriso leve há de se pairar

No ar

Outras vezes

Forte a gargalhar

A correr com o vento

Irá te buscar

Sorrisos são formas de celebrar

A alegria que vem da alma

E se espalha pelos cantos

Afeta as pessoas  com quem se toca

E toca pessoas a sorrir.

Sorrir é falar a língua dos anjos

É dizer os encantos

Que vivem no coração

É espalhar doçura aos lábios

E brilho aos olhos

É abraçar com palavras

E sentir o abraço risonho que vem dos lábios de outrem

Na viagem inesquecível que o sonho faz

Na rota infinita  que o amor é capaz

De fazer na busca da felicidade

Há sempre de sorrir

Sorrisos tolos, puros, inocentes

Apaixonados, quentes

Sempre serão sorrisos

Mesmo que indecisos

Entre beijos e risos

Haverá sempre um sorriso por ti.