Leveza

Pela manhã, visto-me da esperança que vem de longe, além do oceano e cheira à maresia.

Vestido longo, bordado a cristais de luar e gotas azuis de mar.

Costurado com longo fio do tempo, linha dourada de sol.

Rendas  de poesia  tecidas entre as gotas lavadas do meus olhos e distância de dois mundos

Voa esperança,  com os cabelos a bailar na suavidade da brisa da manhã.

O dia desfia na lentidão das horas

Levanta o sol com o pincel de um olhar

Bebo da fonte do desejo pra me refrescar.

A alegria derrama no colo

Alimento minha alma com sonhos e saudades

Noite cai

Tenho um fado revestindo meu coração

Destino…

Meu caminhar é lento  enquanto o tempo engole o dia como massa cinzenta

O meu canto  é triste

Dispo-me do vestido rendado, bordado de sorrisos praianos

Sou apenas sombra

A vagar pela imensidão do infinito

Palavras, poesias, melodias…

Envoltas em manto de calmaria

Voamos para outros sítios.

Onde vamos  viver meu fado triste.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s