Florada na Serra

Todo mês de setembro vem com ipês

A serra fica dourada

A beleza das flores faz um contorno em ouro nas copas das árvores

Aqui e acolá…

Por todos os lados, centenas de ipês colorem as colinas.

A cada curva do caminho, lá está.

Flores perfeitas, de rara beleza.

Sensíveis

Perecíveis

Valem a pena uns dias a contemplar

Uma semana, duas talvez…

E elas se vão.

Outro setembro virá

Sorridentes os ipês novamente hão de abrir os braços

E novamente colorir o Brasil em verde e amarelo

Como os ipês, enchi-me de graça

Sorri e abracei

Tive primavera

Alegria perecível tal qual o dia que se finda.

Outro setembro retornou

Meus sonhos não floriram

Meu coração não abraçou

Meus olhos não primaveraram

Meu setembro não se engraçou

Dói olhar os ipês.

Cada ipê é uma lembrança

E se as lembranças voltam sempre

Terei sempre ipês,

Ou terei ipês o ano inteiro?

Hei de encontrar ipês em outras terras,

Ou trarei outras terras pra ter ipês?

Setembro que setembra com ipês

Ipês que abraçam e se engraçam

Traga um setembro todo meu

Com um outubro todo seu

Para ser meu e seu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s